X
Olá, Entre ou Cadastre-se
triangulo

Conheça mais sobre os principais tipos de encordoamento

Assim como cada músico, cada instrumento musical possui um estilo próprio e uma sonoridade peculiar. Por isso, cada modelo tem suas especificidades, necessidades e, por consequência, acessórios específicos para suprir tudo isso.

Entre eles, um dos principais é justamente o encordoamento, que pode contar com materiais diferentes e uma confecção específica para cada instrumento de cordas. Logo abaixo, você descobre um pouco mais sobre os principais conjuntos de corda!

 

 

Encordoamento para violão

Os principais fatores que diferenciam as cordas para violão são:

  • o material da confecção;
  • e a tensão (calibre) delas.

Os modelos de aço têm um timbre mais estridente e são indicados para músicos mais experientes (pois machucam os dedos quem ainda não possuem calos); já aqueles de nylon têm um som “mais macio” e são mais confortáveis para iniciantes.

Com relação à tensão, elas também têm suas especificidades:

  • quanto menor ela for (com 0.8 ou 0.9), mais as cordas produzem um timbre pouco encorpado nos graves e médios, mas marcante nos agudos. Por isso, são indicadas para iniciantes - pois são mais macias - e para quem gosta de solar no violão.
  • já no caso de tensões maiores (0.10, 0.11, 0.12), a sonoridade fica mais encorpada e cheia, porém os solos não soam tão bem.

 

Encordoamento para guitarra

Assim como nos encordoamentos de violão, as cordas para guitarra também se diferem no que diz respeito:

  • ao material (diferentes ligas de metal);
  • ao revestimento;
  • e, principalmente, no calibre (a grossura das cordas).

Aliás, o calibre é uma questão que varia bastante de guitarrista para guitarrista, porque ele interfere na sonoridade e, assim, cada um pode ter um modelo preferido para o seu estilo de tocar.

Porém, existem algumas dicas e indicações gerais:

  • Os calibres maiores, como .013 e .015, demandam uma pegada mais forte (pois exigem um pouco mais de força muscular) e produzem um som mais encorpado. Características essas que combinam bem com guitarristas que tocam com uma afinação fora da padrão, produzindo sons mais graves.
  • Já aqueles calibres menores (.009 e .010, por exemplo) facilitam a tocabilidade e são indicados para iniciantes e músicos em geral.

Além de levar em conta o seu estilo de tocar, também é preciso ter atenção na hora de escolher seu encordoamento para a guitarra porque alguns modelos demandam um calibre específico, pois, devido à confecção do instrumento, só produzem um som de qualidade com determinada corda.

E vale lembrar que, ao trocar o calibre das suas cordas (optar por um valor diferente daquele que veio com a guitarra), é indicado levar o instrumento a um luthier - profissional que ajustará a guitarra para essa nova sonoridade.

 

Encordoamento para baixo

As cordas para baixo podem ser escolhidas pelo mesmo princípio das cordas de guitarra: material (combinações de metais), e calibre.

Aqui, o calibre também faz muita diferença, pois ele influencia na tocabilidade e, por isso, geralmente se adapta melhor a determinados estilos. Os calibres mais comuns são 0.35, 0.40, 0.45 e 0.50.

Quem prefere timbres mais brilhantes, em que o agudo se destaca, pode escolher cordas com calibre mais baixo; já aqueles baixistas que tocam um som mais pesado, com sonoridade voltada para timbres graves, se sentirá mais confortável com calibres mais altos.

É importante, também, levar em conta as características do seu contrabaixo e, caso sua intenção for optar por um encordoamento diferente daquele que veio no originalmente no baixo, levá-lo a um luthier.

O que você precisa? Aqui na Multisom, temos:

 

Encordoamento para ukulele

Como o instrumento é classificado de acordo com o seu tamanho, as cordas para ukulele também são específicas para cada modelo. Ou seja, existem encordoamentos para:

Isso facilita um pouco na hora de escolher qual a corda comprar para o seu ukulele, proporcionando que você foque sua atenção em escolher aquela marca que melhor se adapta ao seu estilo de tocar!

 

Encordoamento para cavaco

As cordas para cavaco, assim como as de violão, variam de acordo com a tensão (cada corda tem um valor próprio) e o material confeccionado (diferentes misturas de aço e metal).

No encordoamento mais tradicional, o calibre das cordas é de 0.28, 0.32, 0.50 e 0.66 e elas são de aço inoxidável e revestidas de metal. Há ainda as cordas especiais para captação elétrica - que são revestidas com metal - e as cordas leves, com calibres menores e mais fáceis de tocar, indicadas para iniciantes no cavaco.

 

Encordoamento para violino

Com características bem específicas, o violino tem manutenção e tocabilidade diferenciadas. O mesmo pode ser dito das cordas para violino, que possuem uma confecção bastante diferente dependendo dos seus tipos. Existem três:

  • com núcleo sintético e revestimento de aço;
  • com núcleo e revestimento de aço;
  • com núcleo feito com tripa de carneiro (material usado desde o século XVI) e revestimento de aço.

 

Encordoamento para viola

As cordas para viola também se diferenciam principalmente pela tensão. Existem aquelas com tensão leve, que são as mais usadas; os encordoamentos de tensão média, propícios para tocar com velocidade; e os modelos com tensão alta, um pouco mais difíceis de tocar mas que trazem graves encorpados ao som da viola.

 

Encordoamento para violoncelo

As cordas de violoncelo também se diferem pela tensão. Então, lembre que as leves são menos sonoras e mais rápidas em resposta, as médias são mais procuradas por serem um meio termo e as altas têm mais sonoridades, porém resposta bem mais lenta em seu violoncelo.

 

Encordoamento para outros instrumentos

Não falamos do seu instrumento na listagem acima? Não se preocupe, aqui na Multisom também temos: